Número total de visualizações de página

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Portugal faz mais do mesmo. Empate a 1 com Irlanda do Norte

Seleção fez o habitual face a equipas fracas em fases de qualificação: jogou mal e não conseguiu ganhar. Mais do mesmo...
Já não são de agora as exibições desconcertantes de Portugal nas fases de qualificação das grandes competições mundiais. Uma seleção de quem sempre se espera muito, acaba quase sempre por se arrastar nos jogos de apuramento, com exibições sem chama nem raça. Quando chega ao play-off (sim, porque o segundo lugar dos grupos é já uma sina nacional), enche-se de brios e vence sem espinhas. E nas fases finais chega quase sempre bastante longe e protagoniza espectáculos de encher o olho.

É o costume ... - Já é assim há muito, porque haveria de ser diferente agora? Não sabemos se é isso que os jogadores da Seleção pensaram esta noite, no Estádio do Dragão. Mas a exibição foi uma sombra longínqua dos bons jogos feitos ainda há apenas três meses na Polónia e Ucrânia. E foi assustadoramente semelhante a outras que resultaram em empates caricatos com Andorras, Liechtensteins e Arménias desta Europa, não há muito tempo.
A Irlanda do Norte joga muito pouco, e essa evidência ficou mais uma vez demonstrada esta terça-feira. Mas esse muito pouco foi suficiente para marcar um golo aos 30 minutos, aproveitando uma perda de bola no meio campo e a passividade da defesa de Portugal.
A bola não ajudou... - Com os jogadores portugueses a dormir, a errar passes e com estranhas dificuldades em dominar a bola ao primeiro toque, os irlandeses nem tiveram de se esforçar muito para levar a vantagem até aos 79 minutos. Os remates perigosos da Seleção de Paulo Bento não existiram na primeira parte e escassearam na segunda.
Verdade seja dita que o selecionador identificou o problema e a equipa melhorou após o intervalo. Paulo Bento pôs a carne toda no assador e Cristiano Ronaldo – numa das suas 100 internacionalizações com menos brilho - e companhia correram mais e melhor, obrigando o adversário a recuar. Mas a melhoria não rendeu mais do que o empate, a 11 minutos do fim. E nem foi preciso um árbitro irlandês, como sugeriu o selecionador Michael O'Neill, para os homens que vieram de Belfast festejarem.
Bom futebol só no play-off - Os quase 50 mil espectadores que encheram o Estádio do Dragão para apoiar a equipa de todos nós mereciam muito mais. Mas, já se sabe, só teremos direito a bom futebol no play-off - se lá chegarmos, é claro.
in Relvado.sapo

Sem comentários:

Enviar um comentário